segunda-feira, 5 de abril de 2010

Série: Poetas Prediletos > Mario Quintana


A CANÇÃO DA VIDA
Mario Quintana

A vida é louca
a vida é uma sarabanda
é um corrupio...
A vida múltipla dá-se as mãos como um bando
de raparigas em flor
e está cantando
em torno a ti:
Como eu sou bela
amor!
Entra em mim, como em uma tela
de Renoir
enquanto é primavera,
enquanto o mundo
não poluir
o azul do ar!
Não vás ficar
não vás ficar
aí...
como um salso chorando
na beira do rio...
(Como a vida é bela! como a vida é louca!)

Esconderijos do Tempo

BIOGRAFIA

Cidade natal: - Alegrete, RS.

Diziam os amigos mais íntimos, que Mario Quintana era o poeta das coisas simples e fazia pouco caso em relação à crítica. Conforme costumava comentar, sua poesia era feita simplesmente por sentir necessidade de escrever.

http://www.paralerepensar.com.br/m_quintana.htm



Um comentário:

joana soares disse...

Muito lindo Guida! Não conhecía! Obrigado pela partilha!
Beijo
Joana